A hora em que a gente joga os sonhos no lixo

Até ontem, a minha frase mais retwittada da história era uma boutade política:


É bem verdade. Depois de ontem, tá bem provado. O PSDB fundado por exilados políticos durante o golpe militar, o PT fundado por gente que combatia ditaduras e desmandos do poder, juntinhos, de mãos dadas em Paris, desceram a tropa de choque no povo. Todo mundo viu, todo mundo sabe, e o divertido amanhã vai ser ver a Presidenta, torturada pela ditadura, justificar soltar os cães de guerra no povo durante uma democracia.

Vai ser uma aula de retórica ver a Folha e o Estadão, que apoiaram o golpe militar, depois combateram a ditadura, depois combateram o PT, e agora – depois de jornalistas atingidos e de fotos, vídeos e depoimentos – defenderem o povo e atacarem a política.

Será vexatória quaisquer posição da Globo, defendendo e atacando, e de vez em quando até apontando a incoerência, como o Elio Gaspari, quase em tempo real.

A pátria de coturnos entrou em campo

Tem Copa do Mundo e tem inflação, tem elefante branco e tem Neymar. Tem a polícia do PSDB descendo o cacete em manifestantes contra o aumento de salário do PT.

Tem o governo a favor do direito de ir e vir dos automóveis, mas contra a liberdade de expressão de quem não pertence a um partido majoritário.

Gente foi presa. Vão fazer o quê? Prender os protestantes, que deveriam ter o direito? Prender os policiais, que supostamente estavam trabalhando? Recriar o DOI-Codi? Recriar os Cara-pintadas? Mas o Lindemberg Farias não é tipo, do PT? Mas a Dilma não combateu a Ditadura, com armas e tudo o mais, e sofreu na pele os excessos dos uniformizados?

O Brasil não é pra amadores

Concluo chateado que a pior coisa é explicar amanhã aqui pros gringos a confusão que está rolando aí. Nem precisa mais imaginar na Copa. É uma mistura do 15M espanhol com o carnaval de Olinda. Algo completamente incoerente, com personagens absurdos que negam com ações o que sempre pregaram.

E com uma absoluta falta de planejamento. Incapacidade total de ver as consequências dos próprios atos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.