Algoritmo para indicação de amizades

Odeio computadores. São os bichos mais burros da história. Exemplo:

Vejam o algoritmo para sugestão de amigos, que agora praticamente toda rede social tem. Uma máquina indicando quem eu devo conhecer ou não? E sim, os malditos acertam muitíssimas vezes. Mas erram ainda mais.

Funciona assim: se muitos conhecidos seus conhecem a dita pessoa, ela deve te conhecer também. Claro, ele não sabe se você gosta da pessoa ou não. Ele também não sabe o tamanho da cidade que você mora. Praticamente todo mundo que mora em João Pessoa se conhece. Os que frequentam os bares de Tambaú, então, são pouquíssimos. Todo mundo tem 5 conhecidos em comum. O que acontece? O Facebook[bb] me indica trilhões de pessoas que eu nunca ouvi falar, ou que já vi em alguma noite da minha adolescência em algum bar, ou pior, que estudou com alguém que estudou comigo. Praticamente a cidade toda. Já desisti da ferramenta. Pra cada pessoa que realmente eu adicionaria como amigo, há 800 cliques de não. E ele não aprende. Tem gente que eu já apaguei três vezes e ele volta a me sugerir.

Solução que não funciona: sugerir amigos por afinidades
Se você quisesse usar a rede social para conhecer gente, deveria ter alguma possibilidade de cruzar interesses. Livros, música[bb], preferências sexuais bizarras, sei lá. Mas, neste caso, pouca gente fica confortável com a frase: “o computador disse que nós temos coisas afins, vamos ser amigos?”.

A saída lógica
Você olha pro avatar dela, acha bonitinho, e pergunta: “de onde teclas?”.

0 Comments on “Algoritmo para indicação de amizades”

  1. Burros mesmo, esses algoritmos de indicação de amizade das redes sociais. Conseguem executar milhões de cálculos por segudo e não param pra pensar que aquela pessoa que tem mais de 60 amigos em comum com você pode ser um ex-namorado ou ex-namorada que você não quer ver nunca mais na vida.

    O “Oi, quer tc?” ainda é a solução. 🙂

    1. deveriam pensar seriamente em incluir um indicador de “do not socialize”, pra evitar este tipo de comportamento.

      afinal, na vida real, a gente também dá unfollow às vezes, né?

      valeu pelos comments, gustavo.

  2. Tu sabe qual é a lógica para o resultado dos "amigos em comum" do facebook?
    porque para mim aparecem com frequencia as mesmas pessoas?

  3. “Odeio computadores. São os bichos mais burros da história.”

    Auauahaha! Você odeia tanto computadores que escreveu um post na internet utilizando um. Que irônia. ehheeh

    Falar mal de um algoritmo é fácil, porém, tentar desenvolver um antes de criticar. 😉

    1. Luiz, como você mesmo apontou, a minha frase era irônica. E ironia não tem acento.

      E qualquer frase com a estrutura “Falar mal de XXXX é fácil, difícil é fazer” é falaciosa. Exemplos:
      1 – 190 milhões de brasileiros falam mal da seleção, dão comentários e pitaqueiam. quantos já ganharam uma copa, quer como jogadores quer como treinadores?
      2 – todo mundo fala mal do google, ninguém fez um buscador melhor.
      3 – eu posso falar mal dos políticos, exatamente porque nunca fui eleito para nenhum cargo público.
      ad nauseam.

      Ou seja, eu posso, sim, falar do algoritmo do facebook. e sim, eu já escrevi algoritmos. não é uma coisa particularmente cabulosa (filosofia é mais complicado, por exemplo), nem exatamente a ciência mais difícil do mundo. ler e entender frases é mais difícil, IMHO.

  4. kkkkk, vc odeia computadores e mantém um blog?!
    kkkkk, vc acha eles burros e esqueceu que foi feito pelo homem!
    kkkkk, não odeie o computador, ele não tem “pessoa”, odeie o programador meu filho!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.