Das coisas que eu odeio na propaganda (um ano depois de deixar o mundo das agências)

Palavras hypadas que não significam nada: hype. millenial. approach. influencer. trending. metrics. creative. innovation. technology. digital. WE.

Por que elas não significam nada? Explicação rápida: porque significam muita coisa. Vejam a palavra play, em inglês. Sozinha, ela pode significar jogo, jogar, começar, brincar, reproduzir, tocar, e um largo etcétera. Quando, dentro de uma agência, a gente diz millenial, pode estar dizendo mil coisas, mas não diz nenhuma. É aí que vive a cobra que ferra a nossa vida. Passamos meses discutindo coisas em reuniões, sem dizer nada, porque não usamos palavras com significados verdadeiros.

E isso, pra uma pessoa que às vezes é paga para dar um nome a uma coisa (aliás, o job que eu venho fazendo com mais frequência nos últimos meses), dói. Não custa muito usar as palavras certas, mas os resultados de usa-las é visivelmente positivo.

O que você quer dizer com criativo? Com inovador? Com digital?

E ainda pior: nós? Porque sempre que alguém diz: nós precisamos fazer alguma coisa, sempre era pra EU fazer alguma coisa, mas o fulano não tinha cojones nem de utilizar o artigo apropriado.

Pra quem costuma ser o cara da reunião responsável por usar as palavras certas, estes holocaustos de neurônio são a coisa mais dolorosa do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.