Tendência da internet para 2010: parar de ler feeds e navegar

Mais uma decisão radical que eu tomei agora, e vai mudar a maneira como recebo informação e conteúdo, e logo, muda completamente a pauta do blog: vou diminuir a quantidade de feeds e buscar ativamente mais informação.

Ah? Temdemsia? Isso é velho.

O problema: ler somente o que todo mundo lê
Vocês lembram das capas iguais da Veja e da Época sobre o Haiti? Pois é. Sabe por que isso acontece? É que todos os jornalistas lêem a mesma coisa, tá todo mundo ligado no twitter e na CNN, e ninguém tem tempo de ler livros, ou de procurar entender um raciocínio complicado por trás de qualquer coisa.

Eu faço um twitt sobre a máquina da coca-cola que dava garrafas grátis, depois de vê-lo 4 vezes no meu Google Reader. Durante o dia, porque tenho a vantagem de acordar antes do Brasil, vejo oitenta ou noventa vezes o mesmo link na minha timeline. Ah, gente, cansei de ler a mesma coisa. E, de repente, a gente nem lembra mais de uma ação antiga (digo, de 2007) da mesma coca-cola, que poderia inspirar bastante mais pro briefing que estou trabalhando hoje. Ou seja, nem serve mais para referência na hora de criar propaganda, a gente só clica nos links para estar “antenado”, “nas úrtimas”, “sabendo de tudo”.

Tentar ir um pouco mais devagar
Ou mais rápido, mas não no mesmo ritmo da galera. Vejo vários sêniors, vários chefes, VPs de criação dizendo que os jovens das universidades estão todos uniformizados. Lêem as mesmas referências, os mesmos sites, replicam as mesmas notícias. Ficam absolutamente iguais às notícias da Época e da Veja. Se as duas dão o mesmo conteúdo (com um ligeiro viés político, ok, não discutamos), pra quê ler as duas?

Vou começar a guardar sites e lugares que têm conteúdos interessantes para navegar. Isso. Browsing mesmo. Sei lá, revisar o site da FWA e publicar um site ducaralho, publicado há 2 anos e que eu nem lembrava mais. Não preciso ver o site de hoje, necessariamente. Ou posso até olhar, mas não quero mais estar tão ávido assim por ser o primeiro a ver a notícia de que lançaram o tablet da Apple.

Esse negócio de dar o furo é coisa de jornalista
Isso também vai acontecer aqui no blog. Tive uns picos de visitas umas vezes por publicar um ou dois vídeos logo antes de viralizarem como fogo no cerrado, mas sempre é de gente que nunca mais volta, e o pior: o programinha que detecta cópias de texto fica me avisando o tempo todo que republicaram o post sobre o comercial da Coca-Cola que filmou um parto ao vivo.

Então, estou procurando referências bacanas para continuar postando aqui, mas não porque são novas.

Meu negócio é critério.

Até porque uma indústria que vive das últimas tem que estar nas últimas, né?

0 Comments on “Tendência da internet para 2010: parar de ler feeds e navegar”

  1. Então Alex! Eu parei de ler feeds há mais de um ano. Não muda nada. As informações continuam chegando, mais atrasadas, mas chegam. Seja por Twitter ou email, se é assunto hypado chega.

    A qualidade cai porque não é o seu critério que está envolvido, mas o dos outros. Mesmo que você siga as pessoas que você julga ter pensamentos e ideias parecidas com as suas. Não adianta, vai vir muita besteira assim como nos feeds.

    Aliás, o SimViral anda meio paradão porque está com esse mesmo conflito. Saímos da corrida para ver quem (re)publica primeiro. Só que perdemos em freqüência dos posts porque estamos sendo criteriosos demais. Tá difícil encontrar o equilíbrio.

    Como aumentar a freqüência sem perder a qualidade? Pergunta do milhão. Se encontrar uma resposta compartilha. Afinal a internet tá aí pra isso né? =)

    Abs!

    1. Pois é. Você deveria ter contado antes a ideia de diminuir os feeds, eu teria aproveitado.

      Não sei se a questão é ser tão criterioso a ponto de não publicar mais nada, mas acho que agora vou procurar conteúdo pra publicar longe de rss e do twitter. A câmara de eco é boa pra ler, mas não pra fazer parte e ficar replicando.

      Mas também quero publicar muita coisa aqui. Estou com fogo nos dedos, e, como sempre, vou tentar não diminuir o ritmo e publicar alguma coisa interessante sempre.

  2. Gostei da decisão.

    É muito animadora a perspectiva de ver mais material original/analisado/esmiuçado por sua senhoria!

  3. Eu tava procurando notícia sobre ex-colega de faculdade, ele publicitário, eu jornalista. Daí entrei aqui e fiquei. Acho que devido a uma questão de “critério”….
    Se queres algo interessante, pelo menos para mim, sugiro, se é que já não conhece, Chris Anderson, com seu livro FREE. A pergunta é: “Quem paga a conta?” Só que daí, tem que ler, no LIVRO….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.