Vamos adivinhar o futuro. Todos estaremos mortos.

Ando meio chateado com a internet. Assim, meio entediado de muita discussão sem sentido, muita flame-war velha como a expressão flame-war, muita reverberação de estupidez e muita câmera de eco de gritos inúteis.

Tá cada vez mais difícil encontrar algo divertido na rede mundial de computadores. Ou eu estou ficando velho, esta semana.

Aí eu andei vasculhando umas notas e encontrei este maravilhoso rant escrito por um astrônomo chamado Cliff Stoll em 1995, falando sobre a interwebs:

After two decades online, I’m perplexed. It’s not that I haven’t had a gas of a good time on the Internet. I’ve met great people and even caught a hacker or two. But today, I’m uneasy about this most trendy and oversold community. Visionaries see a future of telecommuting workers, interactive libraries and multimedia classrooms. They speak of electronic town meetings and virtual communities. Commerce and business will shift from offices and malls to networks and modems. And the freedom of digital networks will make government more democratic.Baloney.

Do our computer pundits lack all common sense? The truth in no online database will replace your daily newspaper, no CD-ROM can take the place of a competent teacher and no computer network will change the way government works.

O cara, que mostrou ter um grande bom-humor ao confessar que a sua previsão estava completa e absolutamente errada, mostra uma das grandes realidades da vida da gente: quem tem muita certeza sobre qualquer coisa quase sempre está errado. Nós não temos capacidade mental de entender nem 10% da nossa cabeça animal, quem diria o universo, ou mesmo entender o que diabos vai acontecer na semana que vem. Quer provas?

  • Ninguém previu o zaralho da economia desta semana.
  • Ninguém previu que Londres ia pegar fogo igual a uma favela carioca invadida pelo Bope.
  • Ninguém enviou pro meu email o número da loteria.
Vamos ser sinceros. A gente não consegue nem decorar o número de celular de uma pessoa, quem dirá calcular o futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.