Eu queria ser capaz de imaginar

A expressão da sua cara, o sorriso de mofa e dor, os olhos mentindo indiferença, quando você soube pela primeira vez que eu tinha continuado. Foi a foto com ela? Futrica de falsa amiga? Você, cascavilhando em algum site?

Não sei como foi, e imagino mil cenários possíveis para o seu sofrimento. Até imagino um cenário (surreal) no qual você não tenha nem ligado.

Mas espero mesmo que você tenha me afogado num coquetel de destilado amargo. Forte, entre lágrimas e blues.

Porquê dentro de mim, foi assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.