O fato de eu ser paranoico não significa que não tenha ninguém me perseguindo.

Meu RPG favorito de todos os tempos all-time se chama Paranoia. Scifi. Um futuro distópico, cheio de coisas horríveis. Mas não é sério, que eu tenho horror a coisa séria.

Tem política, mas não é sério. Tem tecnologia, mas não é sério. Não é um RPG cooperativo. A ideia é só achar graça. Humor meio britânico, uma mistura maluca de Farenheit 451 com Monty Python. De desenho animado com Blade Runner. O Incal do Jodorowski com Trapalhões. Enfim, mil referências.

Incal, de Moebius & Jodorowski

Incal, de Moebius & Jodorowski

Incal: Jodorowski com Moebius (e provavelmente, muito cérebro alterado também).
[Nota: google essas coisas. Quem pescar todas as referências com certeza tem probleminhas]

E a maioria das pessoas não curte. Talvez porque a maioria das pessoas não tenha probleminhas.

Paranoia é quase a definição da minha personalidade. Não que eu me ache perseguido. Mas tenho quase certeza de que, se existisse um deus, ele teria a personalidade do Computador. [“O computador é seu amigo. Desobedecer o computador é traição. Traição é punida com morte. O computador é seu amigo, e quer que você seja feliz. Ser infeliz é traição. Você está infeliz?”] E tenho quase certeza de que o Sistema, o 1%, o Grande Irmão, todas as conspirações, funcionam como no mundo de Paranoia. Ou seja, não funcionam direito, é tudo uma coleção de remendos sobre uma estrutura mal-projetada pronta pra desabar, e todos nós trabalhando para construir mais coisas em cima dos remendos.

Se você parar pra pensar de verdade sobre a visão de mundo desse jogo, define bastante uma das crises atuais que eu tenho. É bem difícil montar um grupo pra jogar Paranoia, porque junta tanta coisa bizarramente oposta que é difícil até explicar.

Grouxo Marx & Frederico Hegel

Grouxo Marx & Frederico Hegel

Meu marxismo favorito.
Você sabe o que é RPG? Você curte ficção científica? Você gosta de política? Você gosta de sátiras? Você gosta de Monty Python e coisas absurdas entrando em conflito? Misturar Groucho Marx, Terry Pratchet e Alan Moore seria algo que te agrada? Juntando tudo isso e mais alguns absurdos, com um visual mezzo desenhos animados dos anos 50 mezzo ficçao científica dos anos 80, a gente pode chegar a um jogo chamado Paranoia.

E esta é a minha definição de diversão inteligente. Aliás, alguém tá afim de jogar Paranoia online? Me escreva que a gente pode organizar isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.